Nossos serviços
Cursos, eventos & palestras
Últimas notícias jurídicas
Parceiros

Publicado em 14/06/2018 às 13h44 - Atualizado em 15/06/2018 às 14h12

Aplicativo facilita socorro a vítimas de violência doméstica

Mecanismo mostra localização da mulher em situação de perigo


O aplicativo Juntas (PLP 2.0), mecanismo de combate à violência doméstica, possibilita que mulheres em situação de perigo enviem, pelo celular, um pedido de socorro a pessoas previamente cadastradas, que recebem, por mensagem, a exata localização da vítima. Com ele, mulheres expostas à violência doméstica podem construir uma rede pessoal de proteção.

Além dos números cadastrados, o aplicativo aciona diretamente as redes de atendimento das Promotoras Legais Populares (PLPs) – lideranças comunitárias femininas capacitadas em noções básicas de leis e direitos humanos que atuam na defesa, orientação e triagem de demandas de violação de direitos, assim como na prevenção da violência contra a mulher.

O Juntas (PLP 2.0) está disponível para ser baixado em celulares com o sistema Android (que envia um pedido de ajuda mediante o acionamento do botão liga/desliga do celular por quatro vezes) ou em IPhone (que possui mecanismo de acionamento diferente, ativado por meio de toque no próprio aplicativo). Para tanto, basta acessar a loja de aplicativos do celular ou o endereço www.plp20.org.br para fazer download do app, sendo possível cadastrar contatos (telefone, e-mail ou perfil no Facebook) de pessoas de confiança, que podem ser acionadas em possíveis situações de risco.

Comunicação Social TJSP – 13/6/2018

imprensatj@tjsp.jus.br

Fonte- http://www.tjsp.jus.br/Noticias/Noticia?codigoNoticia=51486&pagina=1


Veja também

- STF: não cabe recurso contra decisão que inadmite terceiro como amicus curiae
- TJSP – Comunicado SPI nº 37 dispõe sobre Certidão de Distribuição Cível em Geral – Até 10 anos
- Mesmo prevista em contrato de adesão, arbitragem não prevalece quando consumidor procura via judicial
- Determinação de nova perícia com base em parâmetros de perícia tornada sem efeito ofende coisa julgada
- Dispensa de empregado antes de cirurgia bariátrica não foi discriminatória