Nossos serviços
Últimas notícias jurídicas
Parceiros

Publicado em 13/04/2018 às 14h06 - Atualizado em 16/04/2018 às 15h18

WhatsApp para empresas adota proteção para conteúdo de todas as mensagens

Funcionários do aplicativo não conseguem acessar conteúdo das mensagens, segundo página oficial


O WhatsApp liberou novas informações que asseguram a criptografia na edição Business do mensageiro, dedicada a empresas. A página de perguntas e respostas do aplicativo traz um novo tópico que fala especificamente sobre a proteção. A companhia reafirma que nenhuma mensagem trocada pode ser vista pelos funcionários do mensageiro.

A mudança acontece durante a repercussão dos escândalos da Cambridge Analytica no Facebook, dona do WhatsApp. Quase 90 milhões de usuários da rede social tiveram dados vazados – entre os quais estão 443 mil brasileiros.

WhatsApp permitirá avisar amigos sobre mudança de número de celular
Segundo a empresa, a tecnologia usada no WhastApp Business é a mesma já presente no aplicativo convencional. "Todas as mensagens e ligações do WhatsApp são protegidas com criptografia de ponta-a-ponta", observa a nota. Assim, somente os celulares participantes da conversa poderão ter acesso às informações trocadas.

No entanto, o site traz uma ressalva para quem utiliza a versão corporativa. Uma vez que alguém entra em contato com uma empresa, esta mensagem é replicada entre os funcionários que têm acesso ao WhatsApp Business, podendo, inclusive existir terceirização do serviço dessa comunição. Dessa forma, embora exista a criptografia, um mesmo dispositivo pode ser utilizado por várias pessoas dentro de uma companhia ou comércio.

Mais de 120 milhões de brasileiros estão no WhatsApp, fazendo dele o software para celulares mais utilizado do país.

Caso Cambridge Analytica
O esclarecimento sobre a criptografia do WhatsApp surge no site oficial um dia depois que o fundador do Facebook Mark Zuckerberg prestou depoimento no Congresso dos EUA sobre o caso Cambridge Analytica. Na ocasião, um dos congressistas perguntou se as mensagens trocadas por usuários no WhastApp poderiam ser usadas para alimentar a rede de anúncios da plataforma. Zuckerberg negou.

Durante o interrogatório, Mark Zuckerberg também afirmou que o Facebook não espiona usuários por meio do microfone dos smartphones com o aplicativo instalado.

Fonte: TechTudo; Clipping da Febrac- 13/4/2018.


Veja também

- Empresa que comprovou apenas agendamento terá prazo para demonstrar efetivação de depósito recursal
- Trânsito em julgado não impede sócio de questionar falta de requisitos para desconsideração da personalidade jurídica
- Solução de Consulta 8ª Região Fiscal nº 8004, de 21/03/2018
- Decreto vai regulamentar reforma trabalhista
- STJ nega adesão de empresa em recuperação judicial ao Refis